Todos os Her贸is

Refer锚ncias Bibliogr谩ficas

Algumas obras de Milton Santos

O povoamento da Bahia: suas causas econômicas, Imprensa Oficial da Bahia, Salvador/BA, 1948.

Os estudos regionais e o futuro da geografia, Imprensa Oficial da Bahia, Salvador/BA, 1953.

A cidade nos países subdesenvolvidos, Ed. Civilização Brasileira, Rio de Janeiro, 1965.

Por uma geografia nova, HUCITEC-EDUSP, São Paulo, 1978 (5ª edição: 1996).

O trabalho do geógrafo no Terceiro Mundo, HUCITEC, AGB, São Paulo, 1978 (4ª edição: 1996).

A pobreza urbana, Coleção Estudos Urbanos, HUCITEC-UFPE, São Paulo, 1978 (2ª edição: 1979).

O espaço dividido, Livraria Editora Francisco Alves, Rio de Janeiro, 1978.

Economia espacial: críticas e alternativas, HUCITEC, São Paulo, 1978.

Espaço e sociedade. Editora Vozes, Petrópolis, 1979 (2ª edição: 1982).

A urbanização desigual, Editora Vozes, Petrópolis, 1980 (2ª edição: 1982).

Manual de geografia urbana, HUCITEC, São Paulo, 1981 (2ª edição: 1989).

Pensando o espaço do homem, HUCITEC, São Paulo, 1982 (3ª edição: 1991).

Ensaios sobre a urbanização latino-americana, HUCITEC, São Paulo, 1982 (2ª edição : 1986).

O Espaço do Cidadão, Nobel, São Paulo, 1987, (3ª edição: 1996, 4ª edição: 1997).

Metamorfoses do Espaço Habitado, HUCITEC, São Paulo, 1988, (5ª edição: 1997).

Metrópole corporativa fragmentada: o caso de São Paulo, Nobel, São Paulo, 1990.

A Urbanização Brasileira, Hucitec, São Paulo, 1993, (3ª edição: 1996).

Por uma economia política da Cidade, Hucitec - Editora PUC-SP, São Paulo, 1994.

Técnica, Espaço, Tempo: Globalização e meio técnico-científico informacional, Hucitec, São Paulo, 1994, (2ª edição: 1996).

A Natureza do Espaço. Técnica e Tempo. Razão e Emoção. Hucitec, São Paulo, 1996 (2ª edição: 1997)
.
Milton Santos
(1926-2001)

Milton Santos é considerado o maior geógrafo brasileiro. Recebeu mais de 20 títulos de doutor honoris causa, escreveu mais de 40 livros e cerca de 300 artigos científicos. Lecionou nas mais conceituadas universidades da Europa e das Américas e foi o único estudioso fora do mundo anglo-saxão a receber a mais alta premiação internacional em sua especialidade, o Prêmio Vautrin Lud (1994), considerado o Nobel da Geografia. Milton Santos também foi o primeiro negro a obter o título de professor-emérito da Universidade de São Paulo.

Acompanhou o presidente Jânio Quadros em viagem a Cuba, como jornalista, e foi nomeado representante da Casa Civil na Bahia. Na época do golpe de 64, foi despedido da Universidade Federal da Bahia e passou três meses preso em um quartel de Salvador. As agressões físicas sofridas na ocasião quase lhe custaram um olho. Só foi libertado após um princípio de infarto.

Em exílio voluntário, partiu para o exterior a convite de amigos franceses. Por 13 anos lecionou na França, Canadá, Reino Unido, Peru, Venezuela, Tanzânia e Estados Unidos. Retornou ao Brasil em 1977.

Milton foi consultor da Organização das Nações Unidas, da Unesco, da Organização Internacional do Trabalho e da Organização dos Estados Americanos. Também foi consultor em várias áreas junto aos governos da Argélia, Guiné-Bissau e Venezuela. Fez pesquisas e conferências em mais de 20 países, como Japão, México, Índia, Tunísia, Benin, Gana, Espanha e Cuba, entre outros.

Esquerdista convicto, criticava o caráter desumano das práticas globalizantes do capitalismo. Afirmava que o mercado não resolve tudo e via na população pobre o ator social capaz de promover uma outra globalização, fundamentada em princípios mais solidários.

Consciente da situação do negro na sociedade brasileira, analisava com acuidade quando dizia: “tenho instrução superior, creio ser personalidade forte, mas não sou um cidadão integral deste país. O meu caso é como o de todos os negros brasileiros, exceto quando apontado como exceção. E ser apontado como exceção, além de ser constrangedor para aquele que o é, constitui algo de momentâneo, impermanente, resultado de uma integração casual."

Morreu aos 75 anos, no dia 24 de junho de 2001, na cidade de São Paulo, em decorrência de um câncer de próstata diagnosticado em 1994. Seu último livro, escrito com a professora Maria Laura Silveira, foi publicado em 2001 com o título de O Brasil: território e sociedade no início do século XXI. Na ocasião do lançamento, Milton afirmou que considerava essa obra a síntese de suas idéias.

Informa莽玫es Relacionadas