Todos os Her贸is

Refer锚ncias Bibliogr谩ficas

Oliveira, Eduardo (org). Quem é quem na negritude brasileira. São Paulo, Congresso nacional, 1998.

Lopes, Nei. Enciclopédia Brasileira da Diáspora Africana. São Paulo, Selo Negro, 2004.

Enciclopédia da Música Brasileira - Art Editora e PubliFolha.
Elizeth Cardoso
(1920鈥1990)

Elizeth Cardoso nasceu no Rio de Janeiro, em 16 de julho de 1920. De família pobre, foi balconista, cabeleireira e operária de uma fabrica de sabão. Sua família era intimamente ligada à vida cultural da Praça Onze e costumava freqüentar a Casa de Tia Ciata, mesmo morando em Jacarepaguá. Aos 16 anos, em sua festa de aniversário, foi descoberta por Jacob do Bandolim. O convite para fazer um teste na Rádio Guanabara teve a oposição inicial de seu pai. Ainda assim, Elizeth se apresentou no dia 18 de agosto de 1936, no Programa Suburbano, ao lado de Vicente Celestino, Araci de Almeida, Moreira da Silva, Noel Rosa e Marília Batista. Na mesma semana, foi contratada pela rádio.

Dona de uma voz exuberante, Elizeth ganhou apelidos como A Divina, A Magnífica, Enluarada e Lady do samba. A cantora carioca também foi responsável pela consagração de vários sambistas na década de 1960. Apesar de ter começado a cantar aos 16 anos, só gravou pela primeira vez aos 30, mas daí em diante não parou mais. Ao longo de sua carreira, foram mais de 40 discos no Brasil, além de vários outros no exterior, em países como Portugal, Uruguai, Venezuela, Argentina e México.

Fez algumas participações em filmes, como Coração materno, de Gilda de Abreu, É fogo na roupa, de Watson Macedo, O rei do samba, de Luís de Barros, e Carnaval em lá maior, de Adhemar Gonzaga.

Elizeth casou-se com o comediante e músico Ari Valdez, o Tatuzinho. Mas seu casamento durou pouco. Da união, nasceu seu filho Paulo César Valdez. Elizeth já tinha uma filha, fruto de uma adoção.

Trabalhou como crooner de orquestra e de boate em uma companhia de revista e, ao lado de Grande Otelo, começou a se apresentar em circos, clubes e cinemas, com um quadro que a notabilizou: Boneca de piche. Elizeth também participou do primeiro programa da televisão brasileira, sendo contratada pelas TVs Record e Rio.

A cantora gravou mais de 50 discos, entre eles, o LP Elizeth sobe o morro, um destaque da discografia brasileira, que marcou a estréia de Nelson Cavaquinho em gravações e trouxe a primeira composição gravada de Paulinho da Viola.

Outro disco importante foi o que resultou do show histórico, realizado em 1968, no Teatro João Caetano, do Rio de Janeiro, para levantar fundos para o Museu da Imagem e do Som. Idealizado pelo Conselho Superior de Música Popular, o show reuniu, em uma casa lotada, Elizeth Cardoso, Jacob do Bandolim e o Zimbo Trio, sob a direção de Hermínio Bello de Carvalho. Foi um dos espetáculos mais elogiados pela crítica da história da MPB.

Em 1987, durante uma excursão ao Japão, teve diagnosticado um câncer no estômago. Ainda assim, em 1989, apresentou-se no Projeto Seis e Meia ao lado do violonista Raphael Rabello, no Rio. No mesmo ano, realizou suas últimas gravações: Ary amoroso, com composições românticas de Ary Barroso, disco brinde de uma fábrica de móveis, e Todo sentimento - Elizeth Cardoso e Raphael Rabello, lançado em 1991 pela Sony Music.

A cantora faleceu no dia 7 de maio de 1990, no Rio de Janeiro.

Informa莽玫es Relacionadas

www.dicionariompb.com.br
Cabral, Sergio. Elizeth Cardoso. RJ: Ed Lumiar, 1994.